Presidente do SINDHA visita ministro do Turismo
Catadores podem ter acesso a aposentadoria especial
Exibir tudo

Projeto de Lei “Ceiça da Construir” beneficiará milhares de catadores do Distrito Federal

30 de março 2022

Levará dignidade aos catadores e, consequentemente, uma cidade mais limpa e sustentável

O vice-presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal, deputado Delmasso (Republicanos), protocolou o Projeto de Lei “Ceiça da Construir” que fortalecerá as Cooperativas de Catadores de Brasília. Linhas de crédito e de financiamento para apoiar a implantação de novas cooperativas são uns dos objetivos da proposta. 
Existem centenas de cooperativas de recicladores que trabalham para que a sociedade consiga reaproveitar o que nós, diariamente, descartamos. Por falta de conhecimento, e até mesmo, falta de consciência em relação à importância da reciclagem, a população mistura o lixo, e por isso, o que poderia ser reciclado é contaminado. Pior ainda, os recicladores são obrigados a separar no meio da sujeira a riqueza que jogamos fora.
“É comum ver pessoas remexendo o lixo, seja nas ruas, ou nos aterros sanitários, para dele tirar o sustento da família. Cabe a nós mudarmos essa situação. Ao separarmos os materiais recicláveis do resto do lixo, passamos a contribuir com a limpeza do meio ambiente, e passamos a fazer parte de uma cadeia produtiva solidária e cidadã: a da reciclagem”, afirmou Delmasso.
Os recicladores estão às margens da sociedade e, muitas vezes, se sentem desamparados pelo poder público. Para dirimir este problema social, o projeto de Lei Ceiça Queiroz estabelecerá objetivos, dentre os quais garantir aos catadores um trabalho digno e seguro, resgatar a dignidade dos profissionais, assegurar moradia, saúde e educação aos catadores, dentre outros direitos.
Com a Lei aprovada, será possível dar o apoio que os catadores precisam para que possam se desenvolver profissionalmente, além de incentivar o desenvolvimento das cooperativas ou associações, promovendo a inclusão dos catadores a todos os direitos que são garantidos à população. “É uma forma de gerar empregos, contribuir com a limpeza do meio ambiente, e proteger o mundo, evitando que mais áreas sejam usadas para aterrar o lixo e que mais matéria-prima seja retirada da natureza”, disse o deputado.
Com o projeto aprovado, será possível viabilizar linhas de crédito e de financiamento para apoiar a implantação de novas cooperativas e de associações de coleta e reciclagem de resíduos sólidos. Dessa forma, será possível construir uma cidade mais limpa, oferecendo dignidade aos catadores.

Foto: Rogério Lopes